“Meu namorado quer comer a mãe dele ou estou ficando louca?”. Complexo de Édipo em pauta

Oi Ursinho, quero uma resposta sua quanto a um problema que não tenho com quem conversar. Namoro um cara há seis meses, temos uma boa química, nos damos bem e tudo mais. Recentemente me levou para conhecer a mãe dele e é aí que fiquei encanada. Eu sou igual a ela  quando tinha a minha idade! Sei que todo homem quer uma mulher que cuide dele, mas escolher uma mulher que é, aparentemente, igual a mãe não é doentio? Outra coisa engraçada é que, mesmo ela tendo o dobro da minha idade, usa roupas parecidas com as que eu uso. E aí, o cara é um doente tarado na mãe ou eu que estou vendo coisas? Lu
Olá Lu, confesso que sua história não me é estranha, mas não vou ficar tentando descobrir se a conheço pois isso não convém na resposta e também não quero ficar tentado a suavizar meu texto por conta da proximidade. Basicamente você quer saber se seu namorado quer comer a “mãe” dele, certo?

Lendo a pergunta fiquei imaginando a sua reação ao encontrar a sua futura sogra, deve ter te passado pela cabeça que era alguma pegadinha, esperando alguém gritar “corta!”, não foi?

Você lá, de pé, vendo a sua irmã gêmea envelhecida deve ter sido uma experiência muito bizarra. Será que ela também ficou impressionada ou já está acostumada a conhecer as namoradas genéricas do filho? Isso pode lhe dar uma dica se é apenas uma coincidência ou algum plano maluco do cara para comer a mãe.

O complexo de Édipo, que ficou popularizado no Brasil após uma novela da Globo, não é muito comum, mas acontece. Digo até que, em alguns casos, é admissível, imagino que ser filho de mulheres como Luiza Brunet, Ellen Roche  e Juliana Paes deve ser complicado. Agora, se a mãe for a Tati Quebra Barraco, aí sim é caso de internação.

Sendo muito franco, acho que não dá para deixar essa coincidência passar batida. Uma coisa é a sogra ter uma camiseta parecida, outra, muito diferente, é ser você “amanhã”.

Sei lá, parece coisa daqueles seriados americanos como Além da Imaginação, Arquivo X e episódios de dia das bruxas dos Simpsons. Separei um trecho do Two and Half Man que ilustra bem o caso.

Em seu lugar, tratava de dar alguma desculpa esfarrapada e cair fora do relacionamento o mais breve possível. Um cara que tem tara na mãe não pode ser muito normal e imagino que isso não seja um comportamento único. É como quando escuto algum meliante dizer que é ele quem manda em casa… Não dá para confiar num homem que conta esse tipo de mentira! Com certeza ele mentirá sobre mais coisas também!

Claro que essa admiração pela mãe pode nunca se materializar em sexo, pode ficar sempre no platônico ou até mesmo ser inconsciente, contudo, com tanto homem no mundo, não faz muito sentido insistir nesse bilhete premiado a não ser que você esteja tentando se redimir de alguma coisa.

Já imagino que algum psicólogo vai escrever algo nos comentários então vou me poupar de ficar entrando em detalhes sobre os aspectos clínicos da piração envolvida na questão, ok?

Esse é um dos casos onde as aparências podem não ter nada a ver com a realidade, mas mesmo assim é chato demais só pelo que aparenta.

Eu já ouvi que devemos olhar a sogra para saber como a filha ficará, mas eu tinha entendido que isso se referia a nossa sogra e não a da namorada.

Fico pensando também se eu fosse o pai do cara, não sei bem como deveria reagir ao ver meu filho idealizando a minha mulher como ideal para ele. Será que eu ficaria tentado a comer a minha futura nora?

Não… Nem a pau… Já teria passado vários anos com a mesma, não faria sentido insistir no erro. Acabaria achando que tudo não passa de um filme de terror! Se eu quisesse comer outra, optaria por uma diferente.

Espero ter ajudado! Beijoka do Urso

Obs. Uma coisa é o sujeito escolher alguém com traços comportamentais parecidos com os da sua progenitora, isso é normal, porém, escolher uma mulher para namorar que seja fisicamente parecida já é demais. Que me desculpem a sinceridade. Podem me rotular como conservador se quiserem, mas nos momentos de intimidade não quero absolutamente nada que lembre a minha mãe!

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários