Por que mulher gosta de homem sem vergonha? Hoje eu estou mais que sincero…

Amigo Urso, tenho trinta anos e acabei de sair de um casamento no qual eu tive uma filha, hoje com seis.  Estou saindo com uma carinha de vinte e seis anos, que ainda cursa a faculdade. No entanto tenho percebido algumas atitudes que demonstram imaturidade em relação a relacionamento, trabalho, família, enfim aspectos gerais na vida. O que me deixa muito preocupada, pois não é o tipo de pessoa que eu possa pensar em constituir uma família. Estou percebendo que ele é um garoto Enxaqueca: Daqueles que trazem problemas e irritação. É UM PLAYBOY marrento, criador de confusão, dirige feito um louco, irresponsável, e inconseqüente, ainda se garante no “prestígio e grana” dos pais. Não quero isso para mim, mas ao mesmo tempo fico muito atraída pela irreverência e mau caratismo dele. Como fazer para me afastar desse tipo de homem? Mesmo percebendo que ele não é para mim, continuo atraída! Me ajuda!!! Michelle

 Olá Michelle, como as pirâmides vieram parar no Egito? Por que não consigo lamber meu cotovelo? Como meu vizinho ganha muito bem e ainda assim recebe o Bolsa Família? Cadê o Bin Laden? Essas perguntas são equivalentes a sua! Grandes mistérios da humanidade que são insolúveis! Tem mulher que adora homem que não presta. Por quê? E eu sei? Sou um urso que responde perguntas, porém elas devem ser respondíveis!

A senhorita está no grande dilema entre a razão e a emoção, não é? Bom, vamos ver se consigo te ajudar. Não gosto muito desse tipo de pergunta pelo motivo óbvio: vou desagradar alguém! Pode ser você, o playboy ou as românticas que só pensam em amores nas cabanas…

Existem vários fatores nessa questão que devem ser levados em consideração, sua idade, sua filha, a idade e o comportamento dele, e, não menos importante, os sentimentos envolvidos de ambos os lados.

Leitores pentelhos que se acham diferentes da maioria, por favor, não leiam essa resposta! Vou generalizar senão fica difícil, ok? Se eu for levar cada ponto fora da curva como referência, essa resposta não terá fim!

Cara Michelle, acho que toda atitude que você tomar implicará, imediatamente, na desistência de algo. Isso é o que alguns chamam de livre arbítrio e eu simplifico chamando de escolha. No meu entender a vida é repleta delas, não existem boas ou ruins, pois as escolhas não são o problema, mas sim os resultados que elas produzem.

Certamente você já fez uma escolha que considerou, após algum tempo, como uma decisão ruim. Estou até me sentindo o Max Gehringer… Não vejo por esse lado, acredito que, se você estava completamente certa quando a fez, não tem como ter sido a escolha errada.

Vou simplificar, quando eu era adolescente tinha plena convicção de muitas coisas, graças a essas certezas tomei muitas decisões que mais me causaram problemas do que me deram soluções. Contudo, nos momentos dos acontecimentos, eu tinha certeza absoluta de estar tomando o melhor caminho, hoje percebo que poderia ter feito muita coisa diferente, mas isso não diz que errei nas escolhas, em cada situação fiz aquilo que julguei ser correto.

Levando isso na aplicação prática do seu problema, acho que você deverá esquecer um pouquinho a paixão para poder enxergar a situação. Sugiro que, antes de saber se esse é o “cara” ou não, reveja seus objetivos. Você acabou de sair de um casamento, tem uma filha…

Você deseja o que na próxima relação? Perceba que usei o termo “próxima” ao invés de “nessa”… Isso foi proposital para ajudar você a isolar o rapaz da questão. Antes de qualquer escolha, entenda mais sobre você, saiba o que espera de um relacionamento, o que está disposta a dar por ele. Depois disso, sua pergunta já estará 50% respondida.

E os outros 50%? Basta conciliar tudo aquilo que você é com aquilo que o outro lado representa! Vou explicar melhor, você, em algum momento da sua vida pode acabar entendendo quem é, porém, quando lidamos com outras pessoas, nos relacionamos apenas com uma imagem delas, que não necessariamente representa a expressão verdadeira do que as pessoas são.

Ninguém nos vê da mesma forma! Você, por exemplo, é uma para o seu “eu” ao mesmo tempo que é uma pessoa diferente para cada uma que a enxerga.

Se você quer afastá-lo, sugiro que reflita sobre as divergências que têm, isso lhe dará mais força para enfrentar o problema.

É engraçado ver como tem gente que adora uma confusão, parece até que não quer ser feliz, não pode ver um problema que já corre lá para estar no meio. Toma vergonha na cara, leitora!

Beijo do Urso! Ah, se meu professor de filosofia do colegial lesse isso, iria ficar orgulhoso.

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários