Sair com ex é considerado traição ou seria algo como uma visita ao museu? Eu mereço perguntas assim…

Caro Urso, me tira uma dúvida? Sair com uma ex-namorada e dar uns beijos, quem sabe até transar, pode ser considerado traição? Ou seria algo como uma visita ao museu? Quer dizer, estamos somente refrescando algo que nós já conhecemos e que está na memória. Abraços, Palestra.

Caramba! Cada dia que passo me surpreendo mais com a capacidade do ser humano em falar merda e inventar desculpas para chifrar alguém! É impressionante a criatividade que o sujeito tem para justificar suas falhas. São perguntas como essa que fazem os leitores desconfiar que eu invento tudo, também pudera… “como uma visita ao museu”.

Sei que de besta, o mundo está cheio, mas não posso acreditar que uma mulher aceite esse arremedo mental como desculpa para uma possível traição. A não ser que você faça parte de grupos de pesquisa sobre doenças mentais e arrume uma amiguinha por lá.

Caro Palestra, não estou aqui pregando a moralidade, longe disso. O que estou dizendo é que as pessoas não assumem que não são santas, sempre preferem arrumar uma desculpinha, um detalhe, um culpado. Vale a pergunta: tem culpa eu?

O cidadão vai lá se explicar para a corna – “olha, benzinho, não foi minha culpa, eu fui seduzido, não tive como segurar, eu amo você, mas ela foi longe demais, você sabe que não suporto ver mulher mascando chiclete! Se ainda fosse uma bala, eu teria me segurado, mas logo um chiclete?”.

Sair com ex-namorada é traição sim senhor, principalmente se a sua ex for a minha atual. Agora, depende da ex pode, além de traição, ser perdoado, por exemplo, se eu for o ex de alguém… Aí eu perdôo. Obviamente que eu estou brincando… Caras ex que lêem este blog, isso não foi uma indireta!

Tenho um amigo que diz “comer ex é igual Mc Donalds, sei que faz mal, mas de vez em quando como uma”. É mais um do clube dos abutres, que comem qualquer coisa, ela se mexendo ou não.

O trecho “visita ao museu” é ótimo, impagável. Não posso ser considerado bom moço, mas a esse nível de cafajestagem ainda não cheguei.

Tirando essa questão da dissimulação das falhas, eu acho que cada um deve fazer o que entende por direito. Se você considera que não há problema, por que não? Seu mestre é a sua consciência.

Não dei muita sorte com flashbacks, mas não é por isso que desencorajo quem quer. Geralmente, a relação, mesmo que apenas sexual, vem carregada de uma espécie de revanchismo, algo que alguém ainda quer provar.

Dependendo de quem deu o pé na bunda, a situação complica. Se foi o cidadão quem pediu a conta, a garota aproveita a ocasião para falar que você não é mais o mesmo, que tinha mais pegada, que ela saiu com você só para tirar a prova de que não sentia mais nada e por aí vai.

A outra hipótese é ficar a síndrome do pão com a manteiga virada para baixo, você pode ficar com uma gostosa na mão, porém sem afinidade nenhuma. Nesses casos acho até melhor jogar um búzios, empinar uma pipa, descabelar o palhaço, fazer um cinco contra um, descascar banana e qualquer outro termo que no popular significa “punheta”, mas para os cultos chama-se masturbação.

[youtube]ZpKsXMFg0n8[/youtube]

Quanto mais escrevo este blog, mais acredito que ninguém pertence a alguém. Apenas estamos, não somos. Entende o que quero dizer?

Tome os cuidados necessários para não expor as partes, isso é chato. Quer meter o pé na jaca, tudo bem, mas envolva apenas as pessoas que precisam saber. Acho que o ideal era rolar um relacionamento aberto para todos, mas o mundo ainda não está preparado para isso e eu, também não.

Leitorzinho bem estilo Jece Valadão esse…

Abraço do Urso

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários