Neymar expôs os cabeças de bagre e a falta de qualidade no futebol brasileiro

De alguns meses para cá tornou-se inevitável deixar de ver ou ouvir algo relacionado a Neymar, disparado o melhor jogador do Santos, time de futebol que dispensa apresentações por ter sido palco para outra estrela do futebol, Robinho Pelé. Comerciais de televisão, jogos de futebol, cartazes promocionais e até mesmo bonecos em tamanho real em lojas fazem do jogador um garoto propaganda muito bem explorado e bem pago.

O mito de que jogador de futebol só conseguiria ter sucesso financeiro através de uma passagem por um grande time europeu acaba de cair. Em pouquíssimo tempo, o jovem Neymar conseguiu o que muitos veteranos condecorados não conseguiram, ganhar o que quer, jogando onde quer, perto de seus amigos e família.

A segurança emocional e financeira de Neymar

O sucesso do jogador santista não é gratuito, vem de um trabalho feito com ele enquanto garoto e ao longo do seu desenvolvimento por parte da equipe técnica do Santos, tendo acompanhamento psicológico em todas as instâncias.

Diferentemente de Robinho, Neymar frequentou bons colégios, teve a influência familiar presente e de maturidade invejável. Robinho, também lançado na Vila Belmiro, forçou sua saída do Santos para o Real Madrid, depois forçou para o Manchester City e hoje joga de vez em quando no Milan. Seus dribles desconcertantes ficaram para trás, jogadas de videotape, coisa de jogador que não se reinventou e quis jogar com o nome ao invés de se dedicar ao gol.

Ao contrário do que se esperava e contando com o apoio dos pais e do departamento de marketing do Santos, Neymar disse não a grandes times e preferiu ficar no Brasil. Sábia decisão.

Estima-se que seus rendimentos estejam na casa dos R$ 3 milhões mensais, entre salário e patrocínios. Considero o valor merecido.

Entretenimento e publicidade geram mais ganhos que salário

Neymar não ganha para colocar os pés na bola, se fosse apenas para isso, muito menos seria oferecido. Ganha para levar entretenimento ao público, assim como os grandes gladiadores faziam em Roma. O seu valor está em agregar pessoas, levando a elas, além de seu belo futebol, marcas, produtos e ideias de patrocinadores.

Outro jogador que fez muito bem essa linha foi David Beckham. Quando foi contratado pelo Real Madrid fez as vendas da camisa do time disparar na Ásia a ponto de ter os valores de sua contratação zerados pelo comércio.

É isso aí, publicidade pura! Jogador bom e que não “apronta das suas” tem o seu maior valor no aluguel de sua imagem.

Neymar ainda é um garoto, mas não aprontou muito. Já brigou por ficar no banco de reservas, mas nunca forçou a barra para ir curtir o carnaval, não faz leilão para ficar no clube, não se atrasa em treinamentos ou arruma confusão com colegas de campo ou diretores do clube e nunca se envolveu em polêmicas envolvendo festas com traficantes ou coisas do gênero. O garoto é um santo? Longe disso! Tem tudo de ruim que a juventude pode trazer, mas é muito bem orientado quanto a sua carreira.

Inteligência e habilidade expuseram a falta de qualidade no futebol brasileiro

O fato que muita gente não se deu conta é que ele, ao ter sua permanência no Brasil bancada com alto valor financeiro, acabou expondo seus colegas de trabalho ao ridículo. Não é ele que ganha muito, os outros é que jogam pouco!

Neymar não merece ser invejado por esses cabeças de bagre que jogam nos times brasileiros, deve ser admirado, respeitado e estudado.

Seu contrato é de merecimento, não de jogadas de empresários e técnicos interessados em apenas lucrar com um esportista as custas da paixão de uma torcida por seu time.

O caso “Kléber, o ex-gladiador”

Os demais atletas é que são excessivamente remunerados, Kléber (ex-Palmeiras) é um bom exemplo. Bonecos do jogador com o uniforme verde e branco hoje não servem para mais nada a não ser para a prática de Vodu. A desgraça do jogador, que antes era admirado por qualquer palmeirense começou no meio de 2011.

Ao receber uma oferta para se transferir para o Flamengo com um grande aumento de salário, Kléber pressionou a diretoria do Palmeiras para ter aumento e não sair do clube.

Fez da pior forma possível. Se queria ganhar mais, que mostrasse serviço em campo, que tivesse sua imagem bem trabalhada e permanecesse fora de encrencas. Ao ter seu aumento negado tratou de jogar de forma omissa, fugindo de divididas e, mesmo sendo atacante, praticamente não fez mais gols. Saiu pela porta dos fundos para o Grêmio.

Ainda há uma saída para o futebol no Brasil

A revolução que Neymar está fazendo ao continuar no Brasil é muito maior do que ele imagina. O garoto está ensinando o caminho aos demais, mostrando que inteligência e talento são duas características que podem caminhar juntas.

Que os torcedores o sigam, mesmo com aqueles cortes de cabelo extravagantes e esquisitos, e que seu exemplo mostre aos demais atletas e as diretorias dos clubes que há mais do que estão enxergando.

Até mais!

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários