Por que as mulheres não fazem engenharia? Mito ou verdade? Urso vai a campo e traz a verdade nua e crua!

Olá Ursinho, estou procurando uma faculdade para estudar engenharia e me deparei com um grande problema, ao falar com todo mundo sobre minha preferência pelo curso, as pessoas me alertaram que quase não há outras mulheres estudando e que eu me sentiria deslocada. Isso é mesmo verdade? Qual a sua opinião? Arrumo outra área ou mergulho de cabeça? Rita

Olá Rita, gostei muito da sua pergunta por demonstrar duas coisas, que você realmente deseja estudar e que finalmente alguém percebeu que eu não respondo apenas perguntas relacionadas a relacionamento! Aleluia, irmãos! Aleluia!

Não é que eu não goste de responder sobre relacionamentos, mas confesso que às vezes me cansa, até porque geralmente a parte que pergunta não quer mesmo saber a resposta. E também convenhamos, leitoras e leitores, o P.a.U. não deveria ser exclusivamente um local para chorar as pitangas!

Agora que já passou o meu momento desabafo, podemos continuar… Pois bem, não acho que valha a pena mudar de área só por causa disso, afinal, poucos conseguem saber sua vocação e menos ainda são aqueles que têm a oportunidade de estudar o que gostam, eu, por exemplo, adoraria estudar anatomia feminina, mas não rolou. Infelizmente não há nenhum curso com essa pegada exclusivamente, todos os que eu vi teria que mexer em gente morta, o que não é do meu apreço. Gosto de pessoas tranqüilas, mas prefiro as que se comunicam!

Não deixe de me seguir no Twitter, clique aqui. Não sabe que raio de Twitter é esse? Então clique aqui e fique sabendo.

O caso de engenharia é muito complexo, a maioria das pessoas não tem idéia do quanto a área é ampla e por isso fazem alguns julgamentos infundados. Como venho de uma família de construção civil, tinha uma idéia de que engenharia se resumia a isso. Porém, após fazer uma jornada investigativa pude abrir um pouco mais a mente para o assunto.

Esse é um dos motivos que gostei da sua pergunta, ela me fez pesquisar. Procurei alguns conhecidos que estudam engenharia para confirmar a percepção de só haver homem estudando. O resultado foi espetacular, para a felicidade geral dos homens, as mulheres estão cursando engenharia cada vez mais.

Recebi algumas sugestões e escolhi visitar a Mauá (Instituto Mauá de Tecnologia) por três motivos, primeiro porque uma das empresas com quem trabalhei, a Polvora!, tem relação com a faculdade, o que facilita muito a minha vida no âmbito burocrático e o segundo motivo, mas não menos importante, é que a Mauá tem o maior número de mulheres por metro quadrado dentre as universidades da área, conforme a indicação dos meus amigos. O último motivo está lá no final do post de hoje. Como não acredito em conversa de boteco, resolvi testar para poder escrever com precisão, afinal, estamos falando de engenharia… Não preciso desenhar a ironia, não é?

Quando eu fazia faculdade sempre havia comentários maldosos dizendo que se a garota fosse ruim de relacionamento era só fazer engenharia que ele sairia com um casamento marcado. Os tempos mudaram, alguns tipos de engenharia, como a engenharia de alimentos, por exemplo, tem muito mais mulher do que homem.

Aliás, aos “cuecas de plantão” que lêem o meu blog, fica a dica, apareçam nas festas das turmas de engenharia… É incrível como sobra mulher bonita! Eu fazia besteira aparecendo nas festas de nutrição e fisioterapia, só tinha macho correndo atrás das poucas loucas que apareciam…

A turma que é menos interessante pelo ponto de vista de nós, homens, é engenharia mecânica, realmente nesse curso tem menos mulher do que o habitual, eu diria que uns 60% são homens, ou pelo menos, ostentam o título, quanto ao comportamento, cada um que se vire e assuma suas responsabilidades!

É muito engraçado ver que algumas profissões são carregadas de preconceito, engenheiros são machões, advogados são inescrupulosos e enfermeiros são, bem, você sabe… Nunca dei sorte de estar internado e aparecer uma daquelas enfermeiras de filme estadunidense (sim, é esse o termo para o povo dos Estados Unidos da América, todos das Américas são americanos, inclusive o venezuelano Hugo Chavez, por mais que ele não goste).

Voltando ao tema principal, conversei com algumas mocinhas, todas muito bonitas e interessantes por sinal, por obra do destino, falei com alguns nerds futuros engenheiros também, não tive como evitar, eles não saiam de perto das garotas… Acho que era medo da força do P.a.U.!

A Bruna Romeu e a Mariana Mazzei fazem engenharia química, a primeira resolveu estudar lá porque acreditou no Lula e quer trabalhar com petróleo, no curso dela as mulheres são maioria. Já a Mari (olha a intimidade) está rumo à engenharia de alimentos, o curso de maior estrogênio da Mauá, só de passar perto quase menstruei!

Da engenharia de produção mecânica, Daniela Tiemy escolheu a faculdade pelo prestígio da instituição. Para mim, engenheiro elétrico era eletricista e engenheiro mecânico é quem desenvolve máquinas. Ledo engano… Os caras fazem engenharia de produção para trabalharem no mercado financeiro, em bancos ou até mesmo na bolsa de valores.

Antes de sair importunei a Andréia Aguera e a Heloisa D’Agostini, mais duas futuras engenheiras, a primeira já trabalha em banco, a segunda foi para a produção mecânica, já trabalhando na área de qualidade.

Os garotos, Remo Netto e Marco Perrui também foram ouvidos… Os caras estão felizes da vida com a mulherada que estuda lá. Me disseram que é uma das faculdades mais bem qualificadas pelo MEC, mas desconfio que já estavam sob o efeito do estrogênio.

Andréia Aguera, Heloisa D’Agostini, Remo Netto, Mariana Mazzei, Eu, Daniela Tiemy e Marco Perrui.

Antes eu achava que Deus perguntava àquelas que iriam nascer – leiam com a voz do Cid Moreira para dar uma ênfase: “Você quer ser bonita ou quer ser engenheira?”. As meninas me provaram o contrário! Vivendo e aprendendo, nunca pensei que uma mulher bonita sonhasse em ser engenheira.

Resumindo, se seu problema é se sentir deslocada, isso só acontecerá se você não estudar e for lá pensando em sair de casamento marcado. Estou até pensando em voltar a estudar, só não sei se consigo passar no vestibular.

Beijokas e abraços para quem se deve!

Obs. Detesto coisas importadas dos ianques, mas tive que me render a novidade da Mauá. Os caras têm até time de Cheerleaders!!! Os jogos universitários ficaram ainda mais divertidos. Ah, se no meu tempo fosse assim!

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários