Lidando com médicos abusados

Olá Querido Urso, fui levar a minha mãe ao cirurgião plástico amigo meu e quem acabou pagando peitinho fui eu… Ao analisar meus seios com muito rigor, dizendo ainda que um era maior que outro, fiquei bastante constrangida, pois além de ser meu amigo, ele é meio taradão.  Sabe aqueles velhos tarados? Pois é, agora estou constrangida de encontrá-lo nos eventos. O que eu faço? Giu

Olá Giu, pergunta bastante interessante, visto que é uma situação muito passível de ocorrer com qualquer um. Só não entendi porque você resolveu entrar na análise se não tinha problema com eles, pelo visto a curiosidade foi mais forte…

Por que você ficou constrangida? Apenas por eles serem assimétricos? Isso é normal, praticamente toda mulher tem um seio maior do que o outro e isso não faz a menor diferença para o público consumidor, geralmente chupamos um de cada vez…

É engraçado ver a relação que o homem, de forma geral, tem com os seios. Ela muda conforme a idade, quando muito novo eles são a porta para o sustento, depois passam um tempo sem serventia nenhuma e voltam a todo vapor quando a adolescência chega.

Ficamos naquele dilema: uma bunda grande é mais divertida do que um par de belos seios? Passamos toda a fase adulta nessa situação! É sufocante! Não vejo a hora de ficar broxa, assim poderei ir a praia sem olhar para as beldades, serei um urso “livre”, terei tempo de sobra para analisar as nuances do azul do céu, a divisão assimétrica das nuvens ou então poder admirar com ternura o encontro da água com a areia.

Ver tudo isso sem me importar com as belas que passam é algo surreal, praticamente impensável, parece até conto de ficção. Não que a beleza seja fundamental, até porque ela é amplamente subjetiva, mas que isso mexe com a caixola da galera, não há dúvidas. Cada um vê a beleza de uma forma diferente, por exemplo, eu acho a Mulher Melancia um estrupício e me surpreendi com o número de venda em banca da revista onde ela mostrava até o caroço…

É claro que cada sociedade encara os peitões de forma diferente, no Brasil a coisa demorou a engrenar, agora é a alegria de muitos cirurgiões plásticos, sorte a deles. Esses últimos voltaram a tirar o sustento dos seios alheios, não da mesma forma que quando crianças, mas de uma forma muito mais cruel. É engraçado também ver como não há quase cirurgiãs plásticas, o número de médicos é muito maior. Será que elas ficam com dó de exaltar as pequenas imperfeições das pacientes?

Veja só você, ficou preocupada e constrangida… Penso que isso é fruto de uma estratégia de marketing do cachorrão que lhe apalpou, é dessa forma que ele manda os filhos estudar em alguma universidade cara no exterior. Pelo menos é nisso que ele quer acreditar, vai saber o que a molecada está aprontando com o dinheiro dos seios da sua família?

Não caia nessa de se sentir mal, imagino que não seja a melhor situação do mundo ficar encontrando um velho safado que lhe apalpou os seios, mas lembre-se que você o deixou apalpar e nem pode falar que estava bêbada ou em alguma festa a fantasia onde tomou todas…

Se o cidadão ficar lhe torrando a paciência com frases by Wando “Eu já tirei a tua roupa, nesses pensamentos meus…” cabe até processo no Conselho Regional de Medicina. Não é nada ético um médico, independentemente da idade, ficar aliciando pacientes, os caras não podem nem fazer propaganda direito, muito menos ficar alugando a boa vontade dos outros.

Para quem não lembra quem é o Wando, fica o vídeo com ele cantando:
[youtube]LlSWmUDbM6w[/youtube]

Vamos às dicas para resolver o caso sem cair do salto:

1. Desinformada

Faça de conta que você é tonta e pergunte: “Dr., como eu faço para protocolar uma reclamação no CRM? Tenho uma amiga que está sendo assediada pelo médico da mãe e não sabe o que fazer…”

2. Saudosismo

Pergunte a ele como as coisas eram quando ele começou a clinicar, se naquela época ele precisava fazer algum exame para receber a carteira de médico. Essa é golpe baixo, eu sei, mas a vida é dura para quem é mole.

3. Meia idade

Comece a conversar sobre a crise de meia idade que seu pai ou tio teve há tempos atrás, fale que pensou em mandar castrar o coroa…

4. Enxerida

Saber da vida dos outros é ótimo, pergunte sobre os “netos” ou “bisnetos” dele. Ah, ele ainda não tem netos? Essa é uma forma educada de chamar alguém de vovô…

5. Jornalista

Fale que você está escrevendo um artigo e precisa mesmo falar com ele sobre como alguns médicos ludibriam os planos de saúde, pergunte se é legal cobrar procedimentos cirúrgicos fora do plano e o que ele acha sobre outros médicos famosos… Ele vai passar a te evitar a todo custo.

Bom, é isso aí. Espero que essas dicas te salvem do misto de lobo mau, vovozinho e caçador! Beijoka do Urso

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários