Homofobia ou direito de escolha? Myrian Rios e suas declarações controversas

Homofobia ou direito de escolha? Myrian Rios e suas declarações controversas

Olá a todos e todas, ao ler os trend topics do Twitter – para quem não sabe do que estou falando é bom se informar – percebi a presença de um nome conhecido: “Myrian Rios”.

Muito bem, a última coisa que havia me lembrado da existência dessa pessoa era o fato de ter sido casada com o Roberto Carlos nos anos 80. Nada mais. Para minha surpresa descubro que a jovem senhora é deputada estadual pelo estado do Rio de Janeiro, entrando graças a votação expressiva do Wagner Montes, naquele rolo que é o voto proporcional, mas falo disso outro dia.

Confesso que fiquei curioso ao vê-la novamente, logo imaginei que ela teria morrido ou sofrido algum acidente. No Twitter pessoas que já foram famosas voltam a ter destaque por duas coisas: morreram ou fizeram merda.

Resumidamente, ela foi muito mencionada por conta de declarações controversas que deu a respeito de orientação sexual e sua ligação com pedofilia.

Direito ou preconceito?

Quero chamar atenção para dois trechos, segue o primeiro:

“Digamos que eu tenha duas meninas em casa e contrate uma babá que mostra que sua orientação sexual é ser lésbica. Se a minha orientação sexual for contrária e eu quiser demiti-la, eu não posso. O direito que a babá tem de querer ser lésbica, é o mesmo que eu tenho de não querer ela na minha casa.”

Nesse ponto dou razão a ela. Pronto, com essa posição sei que deixei muita gente enfurecida, até mesmo aqueles que concordam com ela, mas que não admitem porque não querem ser rotulados de preconceituosos.

Estamos vivendo uma espécie de novo período inquisitório. O preconceituoso é a nova bruxa. Quem não se lembrar do que foi o período de caça as bruxas na idade moderna pode clicar aqui e ler.

Muitos de nós nutrimos algum tipo de preconceito, eu estou nessa lista, tenho diversos, alguns caíram conforme fui ficando mais velho, outros não. Por exemplo, quando era mais novo achava que tatuagem era coisa de gente sem noção, hoje eu já acho que tem gente sem noção que abusa das tatuagens.

Ter preconceito é natural. Antes de nos informarmos melhor sobre qualquer assunto concebemos uma ideia do que aquilo significa. Isso é um mecanismo de defesa que temos, institivamente procuramos nos tornar conhecedores do desconhecido para que o mesmo não nos meta medo.

Nesse caminho ignorante acabamos formando conceitos muitas vezes equivocados.

Lembram quando o Lula disse que a crise financeira era coisa de gente branca e de olhos azuis? Ninguém levantou a bandeira do preconceito, mas a frase é muito preconceituosa. Mas aí pode. Se trocássemos as pessoas brancas por argentinos negros, alguém reclamaria?

Myrian Rios tem razão em ter o direito de escolher quem deve trabalhar em sua casa. Acredito que, como mãe e de acordo com suas crenças, pode sim escolher quais influencias quer para seus filhos.

Vamos supor que ela não estivesse se referindo a orientação sexual, mas a orientação religiosa. Como evangélica imagino que a deputada não contrataria uma praticante da umbanda para trabalhar em sua casa. Ainda assim seria preconceito ou direito dela?

Muito bem, o preconceito só vale quando é contra uma classe que não tem o nosso apoio. Isso está comprovado.

Homofobia e pedofilia

Agora vamos tratar de outro trecho:

“Vou ter que manter a babá em casa e sabe Deus até se ela não vai cometer pedofilia contra elas. E eu não vou poder fazer nada”.

Agora sim, é uma questão de preconceito e de completa ignorância. De onde vem a ideia de que todo pedófilo é homossexual?

O preconceito geralmente vem de uma generalização superficial, sem fundamento prático e é usado com caráter discriminatório. Acho que se encaixa perfeitamente no segundo trecho.

Enquanto defendia a continuidade de sua cultura ou orientação sexual para seus descendentes Myrian acertou, depois, ao fazer uma afirmação estúpida e totalmente sem sentido, errou feio.

Procurei na internet alguma fonte de pesquisa confiável que pudesse atestar se havia qualquer lógica sobre a orientação sexual e a pedofilia. Não encontrei nada de relevante.

Em meu entender, atribuir uma prática criminosa aos homossexuais pode ser considerado homofobia. É a mesma coisa que eu escrever que os imigrantes judeus são estelionatários ou que os moradores das favelas são traficantes.

Agora, pessoas, a postura discriminatória da deputada não pode servir de justificativa para retaliações agressivas. Pode parecer legal malhar a nova Judas, mas não vejo nada de construtivo na postura.

Partindo para ações práticas e que resolvam algo

Toda vez que optamos por matar o mensageiro da notícia ruim é como se tentássemos nos enganar ou assumíssemos que não conseguimos lidar com o problema.

Será que as pessoas não percebem que rechaçar a pessoa que tem um raciocínio equivocado não faz com que ela mude? Pior que isso, faz com que outras pessoas, com o mesmo raciocínio, se calem.

Se todos que tem preconceito se calarem por medo de serem perseguidos como saberemos tratar a questão? O problema não é a pessoa, mas sim a falta de informação dela perante algo. Entendem a diferença?

Será impossível reduzir os preconceituosos a zero. Se fossemos perseguir e matar todos faltaria lugar para enterrar gente e acabaríamos, em algum momento, tendo que nos enterrar também, assim como na obra de Machado de Assis, “O alienista”.

Acredito que o melhor caminho para atenuar o preconceito é acabar com a ignorância.

Sou contra eventos como a parada gay porque mais causam ojeriza do que informam, preferia que livros fossem escritos contando o dia a dia dos homossexuais, mostrando que são iguais aos dos héteros.

Seria bacana mostrar aos ignorantes como é a vida de quem tem uma orientação diferente da deles, sem forçar a barra. Nada que fosse ofensivo, mas dando uma visão como “olha aqui, não há nada de errado em convivermos de forma harmoniosa sem que o seu jeito de viver ou o meu pareçam errados”.

Um e-book gratuito talvez fosse um caminho, abrir espaço em programas de televisão também, pena que a maioria dos programas que colocam homossexuais são para mostrar um circo caricaturizado para dar ibope ao invés de combater os arquétipos. O que você pode fazer nessas horas? Mude de canal.

Uma coisa é fato, não é hostilizando alguém que tem preconceito que algo irá realmente mudar, melhor partir para o caminho da conscientização.

Se quiser assistir o vídeo, publiquei no meu canal e aqui em baixo. Até mais.


Deputada católica Myrian Rios (RJ) discursa… por pergunteaourso

Comentários

comentários



Leia também


Vereador defende travestis e ataca evangélicos. Fé e política devem se misturar?
Imagem do filme CruzadasVereador defende travestis e ataca evangélicos durante sessão na câmara. Até que ponto fé e religião devem se misturar com política e Estado? Leia mais

O que os homens gostam de ouvir durante o sexo
Monge e freira conversandoO que os homens gostam de ouvir na hora do sexo é uma das maiores dúvidas femininas, ou melhor, era! Use as palavras certas e obtenha o máximo deles Leia mais

2011: os 10 artigos que você deveria ter lido
quadro_negro500Veja a seleção dos 10 artigos que considero como os melhores do ano de 2011 e que você pode ter perdido Leia mais

Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários