O que é Abril Vermelho? Conheça a disputa entre o corno e a prostituta

Caro Urso, nos conhecemos já há algum tempo, mas acabamos por não conversarmos por conta dos nossos compromissos, sendo assim, gostaria que me respondesse em seu blog uma pergunta. Diante das invasões do MST, ignoradas pelo governo e não noticiadas com a devida importância pela mídia, o que podemos esperar do futuro da democracia no Brasil? Grande abraço de seu amigo paraibano, Efraim Filho.

A todos: antes de começarem a ler a resposta, acredito ser importante ouvir uma música que encontrei que tem muita similaridade com a relação do governo e alguns veículos da imprensa, para depois abordarmos melhor a questão do abril vermelho. De vez em quando resolvo escrever sobre política e é sempre um assunto que polemiza.

[youtube]-5jkYsUMRv8[/youtube]

Vamos por partes Efraim, sei que o protocolo manda lhe chamar primeiramente de deputado federal, cargo que ocupa, contudo sinto-me no direito de chamá-lo pelo nome, pois neste ambiente digital somos todos iguais. Quem decidiu entrar no P.a.U. foi você mesmo, está por conta e risco!

O Brasil tem um problema sistêmico muito preliminar à crise política, que é a crise moral. O brasileiro se acostumou a ver escândalos sem tomar as ruas e cobrar os governantes. Esse caso do MST (Movimento dos trabalhadores Sem Terra) invadindo propriedades é apenas mais um dos muitos casos de incoerência que assolam o país.

Esse é um daqueles posts que só serve a quem realmente tem interesse de que as coisas mudem e não se conforma com a bandalheira que há por aí. Portanto, caro leitor ou leitora que apenas lê meus posts sobre sexo e relacionamento, não siga adiante se é só isso que busca nesse espaço. Os demais, gostaria de suas opiniões nos comentários. Neste texto eu explico a presença do poder legislativo, do executivo, o papel da imprensa, o como funciona o MST e como a democracia está ameaçada.

Primeiramente, devo explicar aos demais leitores o que está acontecendo. O mês de abril, há pouco mais de dez anos, é conhecido como “Abril Vermelho“. Esse nome se deu por conta de uma movimentação feita em 1996, por manifestantes do MST que pretendiam invadir terras no Pará. As coisas fugiram do controle entre as partes e ocorreu uma batalha entre manifestantes e policiais que resultou na morte de 22 pessoas, ficando conhecido como o Massacre de Eldorado dos Carajás. Desde então o MST usa o mês de abril para fazer invasões.

Sinceramente, não tenho informações suficientes quanto ao massacre ocorrido, contudo, se eu morasse em uma fazenda, distante da polícia e viesse um grupo querer matar um boi meu ou tomar parte de minha terra, acredito que defenderia os meus de todos os modos possíveis.

Como paraibano que é, você sabe muito bem que o poder público não consegue proteger os inocentes quando falamos do interior dos estados. Muitas vezes não há sequer uma delegacia na região. É muito diferente de uma metrópole onde reclamamos se a polícia não chega em dez minutos, pois em boa parte do Brasil ela sequer chega.

Muitos foram os que perderam as terras por não conseguirem defendê-las, outros simplesmente as abandonaram para não serem tirados à força, fora os que foram assassinados sem que qualquer jornal ficasse sabendo.

Eu até entendo que a polícia não consiga estar em todos os lugares para evitar que esses conflitos aconteçam, porém não há desculpa quando os mesmos são premeditados. Uma coisa é um grupo de sem terra se juntar e resolver invadir uma fazenda qualquer, outra é uma organização, que beira a estrutura de facções criminosas, avisar que no mês de abril irá invadir terras e ninguém tomar uma providência.

No meu entender, todas as mortes e problemas ocorridos são de co-autoria de quem protege essa corja.

O maior problema é que nem processado o MST pode ser. Não há constituição jurídica, o que leva a algumas perguntas: quem sustenta esse movimento? O Ministério Público deveria investigá-lo, não acha? Como os diretores conseguem sobreviver se não são remunerados? Seriam pessoas que vivem de luz? Mistérios…

Como esse negócio de luta por terra está muito distante dos olhos da população, vamos levar para uma análise diferente, imagine você sentado em seu gabinete quando chega um grupo dos sem emprego e lhe bota para fora. Ou ainda, você está lá com sua mulher na cama, dormindo e chega um bando, armado, ignorado pelo governo e acobertado pela grande mídia e lhe toma a mulher simplesmente porque são do Movimento dos Sem Mulher.

Sabe por que isso acontece? Porque é cômodo. É muito cômodo para alguns representantes se omitirem na defesa de seus eleitores.  É o efeito dessa democracia de tolos. Os representantes quase nunca são cobrados por seus patrões, que somos nós. Antes de escrever essa resposta fui procurar o número de pessoas que votaram em você.  Cerca de 150 mil pessoas. É gente que não acaba mais.

Poderia lhe perguntar com muita propriedade quantas dessas 150 mil foram acompanhar seu trabalho como deputado federal, lhe cobrar algo ou solicitar intervenção, porém já adianto aos demais leitores que o número seria ridiculamente baixo. Caso eu esteja escrevendo alguma abobrinha, deixe seu comentário.

Tenho certeza de que você preferia ter mais interação com seus eleitores, mas o que ocorre é que a maioria não entende realmente as diferenças entre o legislativo e o executivo.

Por que votar consciente? Executivo e legislativo, qual competência de cada?

Posso garantir que os votos mais importantes são os do poder legislativo: vereadores, deputados (estaduais e federais) e senadores. São eles que fazem as leis que facilitam ou dificultam a nossa vida. Cabem aos prefeitos, governadores e ao presidente da república (poder executivo) apenas a condução de seus governos, dentro das leis elaboradas pelo legislativo.

É incrível como as pessoas não se dão conta disso na hora de votar, a maioria vota na legenda para candidatos do legislativo. Vamos acordar pessoal! O legislador é o representante direto da população, na prática, se há aumento no salário mínimo ou corte na previdência, isso é obra dele. O presidente pode propor ou vetar uma lei. Em alguns casos ele passa por cima do Congresso Nacional e governa utilizando um instrumento chamado de medida provisória.

Outra coisa que prejudica essa interação com o eleitor é o voto não ser distrital. Em São Paulo, por exemplo, um deputado se elege com votos de todas as cidades, se ele fosse eleito por uma região, seria muito mais próximo dos eleitores, provavelmente iria atender melhor os anseios da população e teria maior representatividade. Também como exemplo seria o caso de um vereador eleito por um bairro, você saberia onde ele mora e poderia conferir se ele está atendo as demandas daqueles que o elegeram.

Voltando ao tema principal, que é o futuro do país, sinceramente, não vejo muita saída em um curto período de tempo. Acredito que em menos de vinte anos a população continuará aprendendo a votar e poucos serão eleitos merecidamente. São os males de uma democracia recente, ainda em formação. Espero contar com políticos jovens como você e idéias novas para sacudir o Congresso.

Por ora temos que combater a idéia de que existem soluções milagrosas, como as prometidas por muitos. São bravatas que me dão medo. Daqui a pouco a população poderá achar que o Congresso não é mais necessário, aí estaremos a um passo de uma nova ditadura.

Ah, já estava esquecendo-me de comentar sobre a postura da grande mídia. O Brasil é um país onde o governo e grandes estatais são grandes anunciantes. Existem muitos boatos sobre o fato de jornalistas estarem em folha de pagamento do PT, mas isso é impossível de descobrirmos, pois já ficou comprovado que o partido usou de caixa dois (dinheiro não contabilizado oficialmente) para pagar fornecedores e apoiadores.

Grande abraço, Efraim!

Obs. Deputado Federal pelo Estado da Paraíba, Efraim Filho, é presidente da Juventude Nacional do Democratas, é contra o Arruda em Brasília, a favor da moralização na política e além de tudo, é amigo meu. Quem quiser, pode seguí-lo no twitter:http://twitter.com/efraimfilho

Obs2. Depois de ler alguns comentários defendendo o movimento, resolvi adicionar um documentário:

[youtube]wUF83sGlsLk[/youtube]

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários