Atração por colega de trabalho? Vale a pena pular a cerca?

Olá Urso, apesar do risco em entrar em contato, resolvi arriscar. O problema é o fato de eu estar me sentindo atraída por um colega de trabalho, (leia-se: atraída e não apaixonada) e sou muito bem casada e tenho uma vida sexual satisfatória e amo meu marido. Não sei o que fazer com esse “sentimento”, deve ser algo platônico porque não tenho contato com o tal colega, apenas cumprimentos entre pessoas que trabalham no mesmo departamento, ou seja, creio que isso não seja recíproco. Enfim, gostaria de ouvir a sua opinião. Tâmara C.

Olá Tâmara, é engraçado, sempre que a pergunta envolve uma possível pulada de cerca, quem a faz sempre me dá justificativas do tipo que você deu, “sou bem casada”, “tenho uma vida sexual satisfatória”, “amo meu marido”. Relaxa… Aqui, no P.a.U., você está entre amigos. Bom, agora que já passei a vaselina…

Vou isolar o principal da pergunta para ver se respondo mais claramente, ok? O que você deve estar querendo saber é se deve ir para cima do rapaz, literalmente ou não, ou deixar a coisa toda passar a ficar ainda mais morna, visto que a senhorita se sente “atraída” apenas.

Falarei apenas do meu ponto de vista sobre relações platônicas, no campo da filosofia é muito bonito, mas na prática, não funciona! É igual relacionamento aberto, no início é tudo oba-oba, depois começa a cobrança daqui, comparação dali e o que sobra é um relacionamento morto, que costuma ficar lá, estacionado, em cima da mesa da sala de jantar até que alguém tenha coragem de dar o primeiro passo. Para o lado que esperou fica o papel de vítima, é claro!

Já não é o primeiro caso desse tipo aqui no P.a.U., já teve leitora apaixonada pelo colega de trabalho, se não lembra, clique aqui e leia.

Estou generalizando e sendo subjetivo. Leram essa parte, leitores pseudo-mais-que-chatos-de-galocha? Hoje os senhores não ficarão descendo a lenha na minha opinião, não é? Aos demais leitores, por favor, eu imploro, o blog precisa dos seus comentários!!!

De volta ao assunto, não serei hipócrita, ultra-liberal ou mega-conservador, portanto acho que você deve apenas pesar os prós e os contras dessa possível relação, visto que há mais pessoas envolvidas, no caso, o corno do seu marido. Eu sei, você não o traiu, apenas pensou… Mas, no meu entender, o sujeito é corno do mesmo jeito, só lhe faltou a ocasião e a motivação para consumação do fato, mas isso poderia ser facilmente resolvido se o outro cidadão estivesse interessado em você.

Imagina se o outro em questão te desse quatorze presentes em dois meses? Só clicar aqui

Essa é a real situação, só não aconteceu nada porque o outro meliante não entendeu seu desejo por ele ou então não lhe acha atraente o suficiente. Pronto! Acabei com o dia da leitora!

Calma, respira, mais uma vez, agora pensa sem colocar o ego na parada, será que, se houvesse uma situação entre vocês dois, você não teria se entregado?

Acho completamente normal as pessoas se sentirem atraídas por outras, da mesma forma que acho normal não se sentirem atraídas. Não acredito que o compromisso iniba esses sentimentos, afinal, existem muitas opções interessantes em nossa volta, ou pelo menos, parecem.

A grama da vizinha só está parecendo ser mais verde, apenas isso! Do seu ponto de observação, você identificou algumas características que lhe despertaram interesse, pode ser até que elas também existam no seu marido, mas o comodismo lhe impede de notar.

Mas isso não quer dizer que essa atração tenha que virar um relacionamento, se você não a nutrir acabará em breve, assim como outras que estão por vir.

Tem um velho ditado que diz que é boi sonso que arromba a porteira… Fico me perguntando se isso vem antes ou depois de nascer o chifre!

Abraço do Urso para os pré-ursos e um grande beijo para as Ursoletes, que deixem esse blog cada dia mais bonito! Meu orkut/facebook parece agência de modelos…rs

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários