Casamento em pauta: virgindade ou experiência podem atrapalhar? Saiba mais!

Olá caro amigo urso, não sei se a classifico como pergunta ou um pedido de conselho… Sou virgem! Mas, diferente de outra internauta não me martirizo por isso, simplesmente não quero. Li em uma resposta sua que o 1º de uma garota (denominado como pato) tem muito azar, porque não sabem fazer nada direito. Espero que meu futuro pato não me deteste. Sempre tive o desejo de casar virgem e com direito a tudo. O que queria saber é o que os homens atualmente acham das mulheres virgens e não-virgens, mas as não-virgens decentes, não qualquer. Será que um futuro matrimônio pode ser prejudicado simplesmente porque nunca dei ou será que ele pode ser prejudicado porque seria uma garota-rodada? Abraço. Flor

Olá “Garota dente de leite”, gostei muito da sua pergunta, ainda mais nestes tempos modernos em que todos os referenciais estão se realinhando. É importante ressaltar que o conceito de virgindade não é o mesmo em todas as sociedades, em algumas basta qualquer relação carnal para que a moça seja considerada como deflorada, em outras só vale quando acontece o rompimento do hímen, sendo permitido o sexo anal e o oral.

Como acredito que a virgindade é um conceito moral e não físico, para mim, qualquer relação carnal ente homem e mulher acarretaria na perda dela. Se eu fosse pelo rompimento do hímen teria que aceitar que o grande responsável pelo defloramento da moça poderia ser um simples absorvente interno, pois o uso dele pode rompê-lo. Já pensou: “pai, me apaixonei pelo meu absorvente, quero casar e ter lindos tampax”? Ridículo!

Pelo lado do rapaz que se envolve com uma moça virgem, essa do parágrafo anterior, não aquela que de tanto conhecer intimamente todo o corpo de bombeiros da região já virou especialista em mangueira e fogo, os primeiros meses são realmente um calvário.

Não é só a questão da habilidade que pesa, existe também o início da sexualidade e todos os medos e traumas que o envolvem, a vergonha do corpo, o nojo por algumas práticas, a falta entendimento sobre o próprio corpo e também sobre o instrumento do pato, resumindo, é muito ruim do ponto de vista de satisfação. Porém, tem um lado legal também, acompanhar o despertar sexual de uma jovem é uma das experiências que todo homem deve ter, pena que quando percebemos isso e temos maturidade para entender o que está acontecendo, já temos idade para ser presos se pegarmos uma virgem…

Isso não quer dizer que o pato irá ter azar ou detestá-la… Apenas, mais trabalho e paciência ele terá – frase by Yoda (mestre jedi de StarWars).

O homem, coitado, sem experiência é mais rápido do que esses africanos que ganham provas de velocidade e tem, em boa parte dos casos, os mesmos problemas que as mulheres.

Meu pai sempre me dizia “não seja o primeiro e nem o último da fila” e acho que isso vale para responder sua pergunta. Acho que uma mulher muito “rodada”, se é que isso existe, nunca vi odômetro (instrumento que mede distância percorrida) em nenhuma perereca, pode ter alguns problemas na hora de convencer um rapaz a realizar o tal matrimônio. Mas isso só acontece com uma conjunção de acontecimentos: se ela ficar se vangloriando de suas aventuras sexuais e se o cara realmente der ouvido e importar-se com isso.

Não é por causa disso que você deve também ser uma mega super casta, daquelas que só aceitam ser chamadas por apelidinhos como “bebê”, que fecham o tempo se o cara quer gozar na sua boca e mudam de canal se aparece alguém nu. Equilíbrio é bom e é saudável.

Fica também uma questão, se você tivesse apenas dez relações sexuais, uma com cada rapaz e outra moça tivesse cem relações, só que com o mesmo meliante, quem seria mais rodada?

Tenho conhecidos que dizer adorar o fato da mulher ter muita experiência e não se sentem intimidados ou diminuídos em nada com esse passado repleto de amores e desamores. Eu ainda não cheguei nesse estágio de evolução e desprendimento, talvez um dia chegue. Se a moça me garantir que se envolveu com mil homens porque os amava ou gostava muito deles, acho que aceitaria numa boa, porém se ela me falasse que saiu com dez apenas porque queria saber para qual motel eles a levariam ou outro motivo que não o sentimental, não pensaria em algo mais sério.

Muitas leitoras devem estar me recriminado, pois em outra resposta afirmei ser possível haver sexo sem amor e agora coloco isso de forma negativa, antes que me joguem pedras, quero explicar, continuo achando possível, mas isso não quer dizer que acho legal que aconteça.

Se for apenas pelo prazer imediato, sugiro o uso de brinquedos às mulheres e das mãos, nossas eternas amantes, aos homens. Essas práticas evitam muita dor de cabeça, mas também não condeno deseja ir para o “arrebento”, pode ser uma fase ou não, todos têm direito a despirocar de vez em quando. Porém, não precisa esfregar isso na cara das pessoas, se não quer ser julgado, não apresente o caso!

Voltando a sua pergunta principal, o casamento em si não será prejudicado por uma ou outra conduta, mas sim pela forma que cada um vê essa instituição. O problema está dentro de nós e não nos outros. Temos preconceitos e valores que podem condenar ou absolver determinadas posições, não há como prever exatamente a reação uma pessoa diante de um fato.

Mais do que a experiência sexual, recomendo que as partes tenham experiência emocional, já que da sexual você pode estudar, treinar e aprender quando pouca ou ficar em silêncio quando muita.

Casar com o primeiro namorado é muito pior do que com o primeiro homem de sua vida, você aprenderá como as coisas funcionam com o coitado, o culpará por coisas bestas, discutirá por questões banais, se anulará ou tentará anulá-lo, deixará opiniões de terceiros influenciarem, terá curiosidade por outras “experiências”, provocará ciúme de forma estúpida para se sentir amada, demorará a entender o que é compreensão e testará os limites dele.

Casar é moleza, fazer com que o casamento dure depois de tudo isso é que são elas. Melhor ter aprendido antes, não acha?

Abraço do Urso

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários