Como convencer o namorado a ir no swing

Ursinho fofo, sou uma moça de 21 anos, e namoro há 2 anos e meio, durante esse tempo todo, eu consegui, por meio de muito esforço, ser fiel. Acontece que meu namorado é muito retrô, careta e gosta só do tradicional, enquanto eu procuro por aventuras muito mais audaciosas e excitantes. Desse conflito, surgem várias brigas intensas e desgastantes… Eu tento convencê-lo a conhecer um pouco mais do Swing, mas ele se mostra inflexível, e nem me deixa falar, as vezes, é até grosseiro, me critica e me repreende. Minha vida sexual está horrível, a gente já não se entende mais. O meu problema é que não quero traí-lo… O que posso fazer para convencê-lo a praticas tão “diferentes”? Bjus na ponta do nariz!!! AMANTE CARENTE.

Olá Amante Carente, essa resposta vai render, convencer alguém a frequentar uma casa de swing não é das coisas mais fáceis de se fazer…

Eu não queria estar na pele do seu namorado, pois a situação dele é realmente desconfortável, ter a mulher amada desejando a liberdade sexual consentida não é tão aceitável como ela pedir para tomar sorvete de baunilha. Você até que teve uma postura decente, falou na cara larga que está querendo dar muito, quero parabenizá-la por isso.

Já pensou se o cara tatuou seu nome em alguma parte do corpo? A essa altura ele deve estar procurando clínicas de remoção a laser ou pensando em um desenho maior. Que dureza!

Existe um velho ditado que diz: com cuspe e com jeito, se come o sujeito. Pois é, é dessa forma que você conseguirá convencê-lo, se possível for, a fazer aquilo que deseja. Calma, não siga ao pé da letra! Não é para enrabar o namorado, se o fizer, existe uma grande chance de sua aventura torná-lo muito “sensível”, entendeu? Citei o ditado apenas para você perceber a essência do meu conselho.

Para amaciar o coração “quadrado” dele, sugiro que mostre o vídeo abaixo:

Corno assumido por pergunteaourso

O que me preocupa um pouco são as suas motivações para realizar as fantasias mais perversas que habitam sua mente, isso pode ser um pouco perigoso quando não há limites. Conheço casos de pessoas que mudaram radicalmente seu estilo de vida após certas “aventuras”.

Que fique muito claro, não sou contra o swing, porém não acho que seja prática para amadores. Como você disse ter apenas vinte e um anos, fiquei refletindo se você tem ideia do resultado que suas ações podem ter, não que a idade seja balizadora para o discernimento, mas acredito que um pouco de experiência de vida cabe muito bem para decisões mais complexas como essa.

Por que ir ao swing?

Geralmente, existem algumas motivações básicas para os que adentram o fantástico mundo underground dos prazeres secretos do swing, que são:

1. Safadeza pura

O que nos priva de buscar certos prazeres é realmente nossos conceitos de moral e valores, porém existe flexibilidade nele de pessoa para pessoa, sendo totalmente moldáveis ao indivíduo. Vou dar um exemplo para ficar mais claro, acredito que boa parte das mulheres sentiria mais prazer estando numa cama com dois homens. Porém, apesar de excitante, isso a faria sentir-se como a mais puta das putas e, por esse motivo, a idéia é posta de lado.

2. Alguém não sabe “fazer” direito

Pode ser que um dos elos da relação não tenha destreza sexual compatível com o outro e isso levaria o parceiro à busca de novas oportunidades. O swing se encaixa bem nesse sentido para aqueles que conseguem separar o sexo do amor, desta forma você consegue se satisfazer sexualmente e ainda preservar o relacionamento amoroso. Acredito mais em química e compatibilidade sexual do que em saber ou não “fazer” direito, ou seja, se não funciona entre duas pessoas, pode devolver na loja antes que a garantia expire.

3. Curiosidade pode não matar, mas dá trabalho

É bem provável que a curiosidade influencie diretamente na opção de ir ao swing, se for esse o caso, sugiro que tome mais cuidado do que nos outros, pois você não sabe as reações que pode ter. Existem relacionamentos que não suportam o dia seguinte… Vale a pena tentar o uso de vibradores como na resposta “Vibradores: aliados ou inimigos? Apimente a relação sem ter a ressaca moral do ménage.“.

4. Tédio

Depois de algum tempo quase toda relação cai em uma rotina, para algumas pessoas isso é medonho, é o que de pior pode acontecer. Algumas optam por ter relacionamentos extraconjugais, outras pelo swing e ainda há aquelas que preferem a separação.

Dicas para convencer o namorado a ir

Se você, ainda assim, quer mesmo levá-lo ao swing, devo lembrá-la de que homem pensa mais com a cabeça de baixo do que com a de cima, sendo assim, tente incentivá-lo primeiro a ir, sem que ocorra troca, deixe isso muito claro, como se fosse uma balada normal, um passeio diferente. Depois que o dito se acostumar no ambiente, pegue uma garota na frente dele. Pode ser que isso o anime. Você tem que levá-lo para o lado negro da força, para o mundo underground, para a sacanagem, entende?

Se tudo correr bem, em algumas semanas, ele poderá chegar a pensar como você e achar que sexo é só sexo, uma diversão como qualquer outra, onde não há a necessidade de envolvimento emocional. Se isso acontecer, ele estará pronto para o ménage masculino, como no caso “Namorado prefere dividir o pão com os amigos do que comer sozinho! Diz que me ama, mas quer me ver com outro…“.

Caso essa prática gradual não funcione, tenho uma sugestão mais ousada e muito mais arriscada, embarangue! Isso mesmo! Fique feia, gorda, escrota ou qualquer coisa do gênero que o faça ter vontade de trocar você…

Pense bem no que deseja, você pode abrir uma porta que não sabe onde dará.

Beijoka do Urso.

Ps. Gostou do texto? Dá um curtir aí embaixo ou divulgue no twitter!

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários