Como o ciúme, a insegurança e o medo podem abalar sua relação

Caro Urso, há quase um ano namoro um rapaz. Sempre tive uma vida social bem ativa e gosto muito de sair para dançar. Porém, desde o começo do namoro ele deixou bem claro que não gosta de certos ambientes que eu frequentava na época de solteira e só gosta de sair para os lugares que deseja. Ele não admite que eu saia sozinha e também não quer me acompanhar nos eventos de meu interesse. Se eu digo que vou a uma festa sozinha, ele diz que vai perder a confiança em mim e as brigas por esse motivo são frequentes. Não sei como resolver isso, já conversei com ele mas não tive sucesso. Será insegurança? Ciúme? Camila

Cara Camila, acho que quase todo mundo passa por isso algum dia, basta ter um relacionamento para o ciúme aparecer, aliás, se olharmos bem, nem precisa haver um, no campo da emoção só uma intenção de relação já é o suficiente.

Respondendo a sua questão de forma rápida, esse comportamento dele é sim ciúme, é insegurança e também medo. Sentimentos nada seletivos que existe nos homens e mulheres desde que o mundo é mundo. Ninguém pode acusá-los de serem discriminatórios, do homem mais alto ao mais baixo, eles os nivelam ao deixá-los de joelhos.

[youtube cJVp5xJtni8]

Só não passa por isso quem nunca conheceu o amor, não estou falando do “Amor”, um brutamontes que trabalha na padaria aqui ao lado, quando deram esse nome a ele não imaginaram como seria constrangedor chamar um cara de quase dois metros desse jeito, mas sim da força que, dependendo da pessoa, é mais devastadora que terremotos.

Somos interesseiros

Gostar de alguém é uma das coisas mais arriscadas que fazemos, até porque é muito difícil gostar de graça. “Como assim, gostar de graça, nunca fui paga para gostar de alguém, no máximo, para fazer sexo com ele?” pergunta a leitora que trabalha muito como atriz-modelo-manequim…

Pode soar estranho, mas somos interesseiros! Gostar de graça não faz parte da rotina dos seres viventes, sempre há uma troca, pode ser por carinho, companheirismo, atenção ou, em alguns casos, dinheiro e bens, mas a verdade é que nosso amor, apesar de não ser vendido, não pode deixar de ser pago em suaves prestações a perder de vista.

Em um filme, do qual não lembro o nome pois tive que decorar a taboada e não sobrou espaço para isso, ouvi uma frase que era algo como “a paixão dura 40 dias ou 40 cópulas, o que vier primeiro”. Lembro-me de ter achado engraçado, depois fui entender que, apesar de ser um exagero, muito se parece com a realidade, durante um curto período tudo é lindo, funciona como o primeiro ano de mandato presidencial, o sujeito tem crédito ilimitado.

Acredito que quem vive em paixão eterna tem o parafuso meio solto, são essas pessoas que tem rompantes e acabam em grupos como “mulheres que amam demais“.

Passar a fase da paixão funciona como divisor de águas no relacionamento, uns viram amor, outros ódio e ainda há os que viram pó. Tudo o que foi abonado no período será cobrado com juros e correção monetária, acreditem.

Sentimento de posse

O seu caso, cara leitora, virou amor, mesmo que ainda na pré-escola. O ciúme é um sentimento infantil, começamos com nossos pais, levamos para nossos amigos e, em determinado momento, chegamos a ter ciúme de um mero apontador de lápis. Pois é, somos todos idiotas em algum ponto da vida, alguns levam isso a sério e continuam por mais tempo, mas isso é história para outra resposta.

O sentimento de posse é algo que o ser humano desenvolve com o passar dos anos e muito dele é fruto de sua experiência no trato com outras pessoas.

O ciúme é baseado na noção de falta da posse.

[youtube 42uy-_f7vHc]
Aviso: detesto pagode, mas achei a letra adequada.

Virar para um ciumento e dizer que você não pertence a ninguém é praticamente uma declaração de guerra, uma das maiores afrontas que alguém pode fazer.

A boa notícia é que isso é uma fase, assim como a fase da paixão ela passa, o amor amadurece e relega as bobagens. A má notícia é que isso não acontece sem a sua participação.

Antes de começar a resolver a situação acho que você deve se perguntar se vale a pena insistir. Dependendo do grau de ciúme e da inteligência do indivíduo em questão deixa-lo mais normal será um trabalho árduo.

Precisando de dicas para promover a paz e deixar o ciúme de lado antes que tudo vire fumaça? Está aqui!

Até mais!

Ps. Curtiu? Aperta aí o botão de curtir ou compartilhe através do Twitter!

[youtube]hJBSeiCWlm8[/youtube]

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários