Descobriu o passado dela. Segue firme ou foge?

Olá Urso, tudo bem? Gostaria de um conselho seu, há algum tempo atrás minha namorada assumiu na minha frente que no passado dava pra todo mundo, eu suspeitava disso mas quando ela me falou fiquei puto da vida. O que devo fazer?  Esquecer ou picar a mula e procurar uma menos safada? Loreu
Caro “Loreu que sozinho não comeu”, eu estou ótimo, pena que não posso dizer o mesmo de você. Entendo o seu sofrimento, nem sempre a vida nos leva para onde gostaríamos, aliás, estou para ver quando é que isso acontece…

O parágrafo anterior pode ter parecido muito pessimista, mas deixe-me explicar, ele não é. Muito pelo contrário, geralmente, somos tão limitados que preferimos sempre desejar chegar a lugares onde nos sentimos confortáveis, coisa de preguiçoso mesmo, eu até iria dizer que dentro de cada um de nós tem um baianinho que adora uma rede, mas hoje em dia isso é considerado ofensa grave. Só não é ofensa quando eu que sou paulista falo que o povo paulista é neurótico e que tem mania de perseguição. Dou um doce para quem entender a ironia na última afirmação.

Se isso fosse um filme acho que um bom nome seria “De volta para o passado”. Não vou fazer chacota da sua situação, porque… Porque… Putz! Acabei de perceber que não há um motivo para não zombar da desgraça alheia!

Veja o lado bom em estar nessa situação, você acabará saindo mais forte dela de um jeito ou de outro. Suas escolhas são bem claras e levam a resultados muito diferentes:

a)    Aceita que o passado é passado, evolui espiritualmente ao passar por cima do fato que o desagrada o que mostra que aprendeu a ter desapego. Há cerca de dois mil anos tinha um cara que pregava isso, tudo bem que acabou pregado em uma cruz, mas isso é bobagem, os tempos mudaram. Hoje, no máximo, você vai acabar cruzando com alguns dos caras que já comeram a sua mulher. Acredito que não sou um deles… O trecho “os caras que já COMERAM a SUA mulher” foi escrito especialmente para as feministas que lêem meu blog ficarem desequilibradas.

b)   Dá um pé na bunda da vadia santa e mostra que é fiel aos seus princípios, mantendo a sua dignidade e suas convicções intactas, assim como aqueles caras que vivem no regime Talibã. Qual o problema de apedrejarem suas esposas adulteras, não é? Mulher nasceu para isso mesmo, certo? Por essa ótica o melhor a fazer é se afastar o quanto antes, senão só de ficar perto vai acabar tendo vontade de dar para todo mundo também. Dizem que isso pega!

Vou desenhar para os leitores mais lentos, escrevi a segunda hipótese apenas para demonstrar o quão ridícula é a atitude. Obviamente discordo de qualquer posicionamento ou questionamento contidos nela.

Hoje não sei se é um bom dia para responder perguntas, estou mais ácido que de costume e para completar estou ouvindo a drogadita Amy “Muitoloka” Winehouse – quem quiser ouvir a seleção toda pode fazer clicando aqui, o link dá no meu Grooveshark.

Retomando o assunto principal, esse é um daqueles casos que eu sempre torci para que não acontecesse comigo, ter que enfrentar meus próprios preconceitos para não abrir mão de algo que eu gostasse.

No final das contas é disso que sua pergunta trata, do que você está disposto a abrir mão e seguir em frente.

Vamos apenas separar as coisas, a suposta promiscuidade da moça do seu conceito de “mulher honesta”, ok?

Mudando o foco da questão, vamos supor que você não quisesse como sua namorada uma mulher que gosta de chocolate branco, afinal de contas, você odeia chocolate branco! Tem nojo de quem o come, não pode nem pensar em ver um sendo consumido. Você deixaria de estar com ela por isso?

Se a resposta for sim, acredito mesmo que é melhor separar da moça e seguir em frente, pois fica claro que o seu “eu” fala mais alto do que a relação. Que fique claro, eu não te condeno.

Com essa onda cretina de feminismo muitas mulheres enveredaram por um caminho que só poderia levar a isso. Não sou contra o sexo casual, Deus me livre de ver uma freira dentro do puteiro tentando fazer as moças de família rezar, mas também não acho certo as putas irem dar lição de moral nas freiras.

O que quero dizer, em outras palavras, é que todos temos direito de assumir posições, contudo devemos arcar com as consequências que provocamos.

De uma forma muito simples, se realmente ela fez o que lhe falou fica claro que vê no sexo uma forma de diversão qualquer, não necessitando apego emocional para que aconteça, ou seja, é ou foi adepta ao sexo casual. Tem uma outra hipótese que é, ao meu ver, ainda pior. Já pensou se ela só faz sexo apaixonada? Eita mulher volúvel, hein?! Isso sim seria mais preocupante para você.

Fico na dúvida se o que te incomoda é apenas ciúme do passado ou tem medo do que as ações dela possam refletir no futuro. No primeiro caso, acho que vale a pena passar por cima, já aconteceu mesmo e não há nada que você possa fazer. Olhe pelo lado bom, se ela tem tanta experiência e ainda assim quer ficar contigo é porque deve gostar. Falta de material para comparação é que não é.

Já no caso de achar que ela pode ser infiel baseado no passado, acho que para isso não tem muito jeito, acredito que vale uma conversa mais franca apenas para acertar a forma que ambos, atualmente, enxergam o sexo. Pode ser que no passado ela via as relações com menos valor do que hoje e que isso tenha mudado, pessoas mudam, meu caro.

Outra coisa que me intrigou foi ela ter lhe dito claramente que “pegou geral”. Mulher não costuma fazer isso… Será que você não torrou a paciência da moça e ela te disse para ver se dava sossego? Pode ter sido um blefe apenas para ver qual seria sua reação.

De qualquer forma, veja realmente o que importa antes de tomar uma decisão. Cada um tem um ponto crucial, o meu nunca foi a quantidade, sempre prezei mais pelo caráter e não vejo relação entre as duas coisas.

Grande abraço! Só por diversão escolhi uma música para o tema:

[youtube]OI-LFxf9oB0[/youtube]

Ps. Duvido que ela tenha dado para todo mundo, eu mesmo não comi! Eu acho…

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários