Está sendo traída ou o problema são as dívidas? O que fazer

Oi, meu nome é Simone, estou assustada, tenho 20 anos de casada, até a pouco tempo meu casamento parecia bem, agora estou sentindo umas mudanças no meu marido, não dá muita atenção nem para mim nem para os meus filhos, está sempre aéreo, de vez em quando eu atendo o telefone e batem na minha cara não tenho certeza, mas acho que estou sendo traída, meu marido tem dívidas que não acabam mais, será que isto influencia no relacionamento? Ele vive preocupado com as contas, quando ele liquida algumas ele volta a ser melhor, me ajude, por favor! Não gosto de me abrir com ninguém, nos damos bem na cama até hoje, beijamos muito até de língua, coisas que um casal de 20 anos de casados não costumam fazer. Me responda, por favor.

Olá Simone, primeiramente, parabéns, vinte anos de casamento não é para qualquer um. As leis brasileiras falam que ninguém pode ficar preso por mais de trinta anos, ou seja, faltam apenas dez de penitência. Se o casamento caiu na rotina sugiro que leia também outro post meu, clicando aqui. Escrevi também um falando sobre o que os homens gostam de ouvir na cama, muito recomendável.

Fora a brincadeira inicial, acredito que duas coisas podem estar acontecendo, ele ter arrumado outra mulher ou as dívidas estarem consumindo o seu bom humor. Quem sabe até mesmo as duas coisas? Acabei de pensar em mais uma hipótese, seu marido pode estar querendo sair do armário, mas prefiro nem pensar no assunto para não alongar a resposta, além do mais, você pode ler sobre isso em outra resposta já publicada.

As dívidas e o relacionamento

Vamos tratar do problema financeiro primeiro, ok? A falta de grana realmente é algo que abala a maioria dos homens, principalmente, os responsáveis.

Há um ditado italiano que diz: “em casa que falta o pão, todo mundo briga e ninguém tem razão”. Acho que ele reflete bem o que o dinheiro ou a falta dele faz.

Eu sou um desses, se fico no vermelho, e fico, preciso dizer isso, ainda mais se tiver alguém do imposto de renda lendo isso, viro outra pessoa. São dois ursos diferentes, um com dinheiro e outro sem.

Estou até pensando em pedir um real por mês para cada leitor, com isso pararia de fazer qualquer outra atividade e passaria o resto da vida fazendo o que gosto. Não, leitor pentelho, não é dançar ula-ula enquanto põem dinheiro em minha sunga… Poxa, pensando bem… Deixa para lá! Gosto de escrever. Já sei, lá vem aquela velha piada:

– Você gosta de escrever?
– Gosto!
– Então por que não aprende?

Nem pensem em fazê-la, obviamente não me daria ao trabalho de responder, iria continuar a conversa no mesmo nível – “E aí, o que você achou do último desenho do Pica-pau que passou ontem?”.

Se o problema for dinheiro, faça um favor para você e para ele, não arrume mais problema, já é difícil se virar sozinho, mas com uma mulher torrando a paciência é impraticável.

Ele pode ter arrumado uma amante

Voltando a questão, a outra possibilidade é ele ter arrumado uma amante. Puxa… Como é que isso foi acontecer? Preciso contar algo, mas não sei se devo… Conto ou não conto? Quer saber mesmo? Você está por sua conta então…

A maioria dos homens é sem vergonha. Isso não é segredo para ninguém, mas não sei porque algumas não entendem essa simples sentença.

É claro que todas as leitoras deste blog devem namorar ou serem casadas com a minúscula minoria de homens que não aprontam… É sempre assim…

Para o seu bem, espero somente que ele tenha aprontado algo antes destes vinte anos. Se for o primeiro caso extraconjugal (com a reforma ortográfica não sei mais como se escreve) dele, você corre o sério risco de ficar sozinha. Quando o sujeito é sem vergonha assumido, isso não acontece. Ele sabe a hora de voltar para casa!

Antes que as feministinhas comecem a gritar, quero lembrá-las de que a mulherada também não está fácil, portanto, nem comecem…

O que fazer

Acho que a solução mais viável é o diálogo franco. Preste atenção, vou repetir para ficar mais nítido, diálogo. Não é para você chegar no meliante vomitando impropérios ou comparando ele com alguém próximo cuja principal virtude é dar bola fora. Não sei bem o que leva algumas mulheres a fazer isso, mas garanto, é irritante e pouco eficaz – “você é mesmo igual ao traste do seu irmão, primo, vizinho, amigo do seu colega de trabalho” e por aí vai.

Fale abertamente o que a fez casar e permanecer casada com ele e pergunte diretamente se ele está satisfeito ou quer rever alguma coisa.

Em outra resposta publiquei um vídeo onde um sujeito falava “o cara é corno porque não conversa”. Tirando algumas exceções, como vingança, por exemplo, essa é uma regra que vale a pena ser estudada.

Até mais!

Ps. Gostou da resposta? Dê curtir ou a compartilhe nas suas redes sociais. Obrigado!

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários