O pecado mora ou trabalha ao lado?

Ai, querido Urso, estou tão confusa! Sou casada, e amo meu marido. Sou jovem, 24 anos, e fogosa. Só que ele não é tanto assim, enquanto eu quero café, almoço e janta, ele se contenta com umas três… POR MÊS! E pior… Tenho um colega de trabalho que me dá uma atenção… Sonho com ele quase toda noite… Ai Urso, o que é que eu faço? Amo meu marido, mas acho que estou apaixonada por outro! Por favor, me ajude! Lavinia

Olá “Lascívia”, sabia que existem poucas coisas nesse mundo para as quais não há remédio? Fogo morro acima, água morro abaixo e mulher querendo dar, são algumas delas. Já houve nesse blog outra reclamação parecida coma sua e naquele dia eu tava virado no capeta, hoje estou mais calmo…

Confesso que não tenho muito a dizer para você, pois graças aos meus anos de janela, sei que qualquer coisa que eu escrever aqui será ignorada se o seu colega de trabalho te dar uma prensa enquanto tromba com você em algum corredor.

Mesmo sendo corporativista, o que na prática quer dizer que admito a traição masculina, enquanto desencorajo a feminina, não fico com dó do chifrudo, pois sei que quem não dá assistência abre concorrência. Toma boi! Talvez seja mais um homem placebo… Antes de ser ovacionado pelas feministinhas de plantão, releiam a frase anterior, “admitir” não é o mesmo que “incitar” ou “aprovar”.

Não deixe de me seguir no Twitter, clique aqui. Não sabe que raio de Twitter é esse? Então clique aqui e fique sabendo.

Eu até estaria disposto a assinar um tratado com todos os homens para que as mulheres casadas tivessem seus nomes retirados do livro da perdição, um pacto entre nós que banisse os Ricardões para sempre dos campos de futebol, das festas de pijama, das noitadas com as stripers e dos churrascos da turma. Como você pode ver, proponho punições severas para quem desse conversa para mulher casada, mas sei que isso é impossível, sempre tem uma ovelha branca no rebanho.

Antes que me pergunte, não sei se já fui boi, até devo ter sido, pelo menos fiz de tudo para ser em uma época da minha vida e se não fui, saiu barato. Agora, já fui o “outro” algumas vezes, estive em situações que me renderam vários apuros, desde brigas envolvendo cadeiradas, até eu me passar por técnico de manutenção… Grande beijo, Verônica! Obrigado por ainda ter feito o boi pagar o “conserto”! Contarei essa para os meus netos.

Pois bem, com vinte e quatro anos você reforça a minha tese de que não dá para confiar em mulheres com menos de vinte e seis. Sempre haverá as exceções, mas a regra é essa aí. Se vocês tivessem acesso aos e-mails que recebo, perceberiam que estou sendo até bonzinho…

Uma mulher um pouco mais madura seguraria a onda, conversaria com o marido antes, tentaria aquietar os seus anseios e entender se não é apenas fogo de palha ou uma situação provocada por alguns acontecimentos. Recomendo a leitura do post “Como sair da rotina e obter mais sexo no relacionamento”.

Seu marido não pode lhe cobrar que você seja diferente do que é, ele sabia dos riscos ao ter uma relação séria com uma pessoa em formação e se não sabia, deveria ter pensado a respeito antes de fazê-lo. Atenção homens que lêem este blog, a maioria vira corno porque não conversa direito com suas companheiras, se continuar assim, faltará chapéu de couro no estoque.

Mas e os casamentos antigos, onde a mulher casava com dezesseis ou dezoito anos? Como a pergunta bem mostra, se refere a “casamentos antigos”, outros valores, outra época, outra noção de direitos e deveres das mulheres.

Lavinia, minha sugestão é tentar entender os motivos que levam o seu marido a não lhe dar chá de picão tantas vezes quanto gostaria. Ele pode estar com algum problema pessoal ou então algo em você o está incomodando, nem todo mundo tem facilidade para falar o que sente. Estou falando isso levando em consideração que você se esforça para fazê-lo render, já que falou que é uma mulher muito fogosa… Também não adianta ficar lá fingindo de estátua enquanto espera o cidadão usar a imaginação.

Antes de partir para outra, tenha uma idéia do que pode acontecer se vocês forem pegos, se acabar se apaixonando mesmo pela outra parte ou se acontecer de deixar o Ricardão apaixonado.

Devo apenas lhe dar uma sugestão, caso você ainda queira trazer mais um sócio para o seu casamento, a vida é sua e não diz respeito a mais ninguém, portanto, não faça comentários que exponha o chifrudo para qualquer outra pessoa.

Beijoka do Urso

Comentários

comentários



Comentários

Powered by Facebook Comments

Se cadastre para receber as atualizações por e-mail

* indicates required



/

( dd / mm )


Sexo e relacionamento – Frequência dos e-mails

Carreira e cotidiano – Frequência dos e-mails

Comportamento – Frequência dos e-mails

Educação e saúde – Frequência dos e-mails

Política e religião – Frequência dos e-mails

Comunicados oficiais – Frequência dos e-mails

Presença Online – Frequência dos e-mails


Comentários

comentários